//Empresa investigada pelo MP recebe R$ 5,4 mi no 1º trimestre

Empresa investigada pelo MP recebe R$ 5,4 mi no 1º trimestre

Por | 2018-04-20T16:39:59+00:00 21/04/2018 em 08:02|Notícias|

Investigada pelo Ministério Público do Estado (MPE) por indícios de ter sido favorecida em licitação direcionada na contratação de serviços de logística para a Central de Medicamentos do Estado (Cema), no inquérito civil nº 039.2017.000060, em 2015, a empresa OM Boat Locação de Embarcações Ltda., faturou R$ 5,4 milhões no primeiro trimestre deste ano, conforme levantamento feito no Portal da Transparência do Governo.

Esses valores foram recebidos entre fevereiro e março e se referem a contratos de logística com a Cema e com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Da Cema, a terceirizada recebeu dia 22 de fevereiro, o valor de R$ 1,5 milhão. Já da Seduc, cujo contrato é trimestral no valor de R$ 12,4 milhões, a empresa faturou no período, R$ 3,9 milhões.

Inclusive, esse contrato trimestral entre a OM Boat e a Seduc foi homologado em 30 de janeiro deste ano pelo secretário Lourenço Braga, sem licitação, conforme publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 5 de fevereiro.

Secretário de Educação contrata OM Boat sem licitação, conforme publicado no Diário Oficial

Por telefone, a assessoria de comunicação da Secretaria de Educação explicou que os valores foram repassados para a empresa realizar o transporte de merenda escolar para todas as escolas estaduais do Amazonas.

“Abastecemos todas as calhas de rios e municípios do Amazonas com merenda escolar. Tendo sido entregue tudo no final de fevereiro. Caso haja outra necessidade das escolas, como entrega de materiais adversos, estes são entregues juntamente com os produtos alimentícios e perecíveis”, afirma a assessoria que garante ter enviado um abastecimento suficiente que alcança até o mês de julho.

Entretanto, em release disparado à imprensa no dia 22 de fevereiro deste ano, a assessoria da Seduc afirmava que, além de abastecer 61 municípios com merenda escolar, o governador Amazonino Mendes (PDT) também teria aplicado R$ 132 milhões no repasse dos alimentos ao interior do Estado, transferidos para a Coordenadorias Regionais dos Municípios, onde, um montante de R$ 5,8 milhões seria distribuído por etapas aos municípios, de acordo com o número de alunos.

A OM Boat é de propriedade dos irmãos Assem Mustafa Neto e Oziel Mustafa dos Santos Neto e, além deles, a investigação do MP – no inquérito civil instaurado em 2015 – se estende ainda ao ex-presidente da CGL (Comissão Geral de Licitação do Estado), Epitácio de Alencar.

Uma das embarcações da OM Boat que presta serviço de logística para o Governo. Foto: Site da empresa

Comentários

contraponto9